Investigadores Vegotsky


E.U.A.


Dorothy E. Robbins
Dorothy Robbins dedicou-se a um dos aspectos da herança cultural do famoso psicólogo LS Vygotsky. A sua atividade (deyatelnost) foi multifacetada. Enriqueceu não apenas a psicologia, mas uma variedade de diferentes ciências, como a pedagogia, a defectologia, a psiquiatria, a teoria crítica literária e a linguística. Deixou obra reconhecida em várias áreas científicas – como a semiótica e a cibernética – que na sua altura não eram estudadas.


António E. Puente
Neuropsicólogo e professor de Psicologia na Universidade de Wilmington, na Carolina do Norte. Fundou e dirigiu a revista Neuropsychology Review ao longo de dez anos. Fundou e co-dirige uma clínica de saúde mental bilingue para populações carentes. Foi presidente da Associação Americana de Psicologia.


Anton Yasnitsky
Nascido na Ucrânia, é doutorado pelo Instituto de Estudos para a Educação da Universidade de Toronto, no Canadá. Atualmente, trabalha como pesquisador independente na mesma cidade, dedicando-se ao estudo da história da psicologia soviética.

Carrie Lobman
Trabalha na “Rutgers Graduate School of Education”, nos Estados Unidos da América, com pesquisa educacional e formação de professores. Estuda o valor da improvisação e do jogo para a aprendizagem e o desenvolvimento humano e defende o jogo e a criatividade para a educação das pessoas de todas as idades. Atualmente é diretora da Pedagogia no Instituto East Side, em Nova Iorque.


Alfredo Ardila
Neuropsicólogo colombiano, formou-se em Psicologia pela Universidade Nacional da Colômbia e recebeu o doutoramento em Neuropsicologia pela Universidade de Moscovo, onde trabalhava com Alexander R. Luria. É presidente da Associação Latino-Americana de Neuropsicologia. É professor titular do Departamento de Ciências da Comunicação e Distúrbios, na Universidade da Flórida, em Miami, e também professor honorário da Faculdade de Medicina da Universidade do Chile.


Harry Halpin
Trabalha para o W3C, onde é o contacto da equipa do Grupo de Trabalho de Criptografia na Web e o líder de identidade e estratégia social no domínio da Tecnologia e Sociedade. As especialidades de Harry incluem dados abertos, mecanismos de pesquisa, segurança e filosofia da linguagem e da mente.


Igor M. Arievitch
Professor do departamento de Educação da College of Staten Island, nos Estados Unidos da América. Obteve o doutoramento em Psicologia Educacional e Desenvolvimento pela Universidade de Moscovo, na Rússia. Os seus estudos focam o papel do ensino e da aprendizagem no desenvolvimento cognitivo dos alunos e nos métodos de ensino para o desenvolvimento.

PORTUGAL


Margarida César
Professora Associada com Agregação do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa (desde 2009). Até à data de criação do IE, foi Professora Auxiliar com Agregação do Departamento de Educação da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, onde trabalhou desde 1984, tendo começado como assistente estagiária.


Carlos Fernandes
É Professor Catedrático da Universidade de Aveiro. Licenciado em Psicologia pela Faculdade de Psicologia e Ciências de Educação de Coimbra, Pós Graduado em Neurociências pelo Departamento de Anatomia Humana da Universidade de Oxford (Reino Unido), Doutorado em Psicologia pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra. (Agregação em Psicologia, pela Universidade de Minho – Aprovado por Unanimidade) (pro bono).

ANGOLA


Josina Kitumba
Psicóloga e diretora clínica do Centro Andricard, Centro Angolano.

BRASIL


Carla Anauate
Psicóloga, Psicoterapeuta e Neuropsicóloga, é também diretora do CINAPSI: Centro Integrado de Neuropsicologia e Psicologia. Mestre em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano, formada pela Universidade de São Paulo. Pós˗graduada em Neuropsicologia, Psicopedagogia, Psicologia Clínica Sócio˗Histórica, na Prova de Rorschach e em Violência Doméstica.


Carla Salati Almeida Ghirello-Pires
É bacharel em Fonoaudiologia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUCcamp). Mestre em Psicologia, área de concentração Psicologia Experimental, pelo Instituto de Psicologia (IP) da Universidade de São Paulo (USP) e doutora em Linguística, área de concentração neurolinguística, pelo Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Participou no grupo de pesquisa sobre neurolinguística do Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), atuou na área clínica fonoaudiológica e escolar, com os problemas de aquisição de linguagem oral e escrita, interação mãe-bebé, programas de prevenção na área de amamentação e problemas de ordem neurológica e linguística na afasia, Parkinson, e paralisia cerebral.

Natália Oliveira Tavares
Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia na Universidade Federal de Minas Gerais, na linha de pesquisa “Cultura, Modernidade e Subjetividade”, na área da Psicologia Social. Possui como áreas de interesse temas ligados à psicologia social, sobretudo ligados às questões de identidade, género e raça, estudos culturais, interculturais e históricos, desigualdades raciais, políticas públicas e educacionais, justiça social e Direitos Humanos.


Luana Maribele Wedekin
Professora assistente na Universidade Estadual Paulista, no Departamento de Artes e Representação Gráfica da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação do Campus de Bauru. Doutorada em Psicologia pela Universidade Estadual de Santa Catarina (UFSC, 2015).


Simone Marangoni
É formada em Psicologia pela Universidade de São Marcos (1994-1998), tendo realizado na mesma instituição o seu mestrado em Psicologia do Desenvolvimento (2005-2007). Atualmente é neuropsicóloga e psicoterapeuta Sócio-Histórica e responsável, desde 2003, pelas atividades do IPAF – Lev Vygotsky (São Paulo, Brasil). A sua atuação profissional é focada em avaliação neuropsicológica e no tratamento psicológico, seja em consultório ou nas instituições de ensino com professores e alunos ou em empresas com avaliação de desempenho, recolocação de profissionais. Entre 2000 e 2003 foi Coordenadora de Cursos e Professora na Sociedade Rorschach de São Paulo onde foi Formadora do Curso de Psicoterapia e Neuropsicologia e Relação Psicopedagógica e Sucesso Educativo.

ISRAEL


Bella S.KotiK-Friedgut
De nacionalidade Russa, licenciou-se em Psicologia na Universidade de Moscovo (1967-1972). Teve como supervisor A.R. Luria na tese de Mestrado de especialização em Neuropsicologia (1972-1975). Fez doutoramento na mesma universidade coma a tese de dissertação sobre “Cooperação Inter-hemisférica no Processamento da Fala em Bilingues”.


Theodore H. Friedgut
É leitor sénior no departamento dos estudos russos e eslavos da Universidade Hebraica de Jerusalém. No seu trabalho, avalia a participação política em massa no sistema soviético, examinando detalhadamente o processo eleitoral.