As férias são importantes

Escrito em em Junho 5, 2019

Mais um verão a chegar, tempo preferido dos portugueses para a época de férias. E tão importantes que elas são!

Mais um verão a chegar, tempo preferido dos portugueses para a época de férias. E tão importantes que elas são! Ao longo de onze meses, a atividade diária exige uma forte mobilização para tarefas mais solicitadas pelas exigências da vida do que pela vontade de cada um. Onze meses em que o tempo na deslocação para o trabalho, no trabalho e ao fim do dia no regresso a casa é muito mais do que o tempo das horas acordados em casa. O que faz com que a partilha na família seja, para muitas pessoas, quase ultrapassada pela partilha com colegas no trabalho.

Ao contrário do que muitas pessoas dizem, eu não acho que as férias sejam um tempo para descansar; muita gente faz tantas coisas nestes dias que cada um deles é tudo menos um dia de descanso. Mas é sem dúvida um tempo que permite resgatar ocupações que estão muito mais em acordo com a natureza humana. Cada pessoa pode ocupar-se fazendo o que tanto gosta e que quase nunca tem tempo, e todos têm mais tempo para partilhar com os que gostam, aqueles que são a sua família, sem se preocupar com as horas.

Os dias são planeados mais pelo que se “Gosta” e menos pelo que “o dever nos obriga”. Só isso já justifica que tanto desejemos o tempo de férias. Mesmo quem se realiza muito no trabalho, como eu, e que não se imagina a viver sem trabalhar, percebe que as férias oferecem ao tempo um pouco mais de tempo; aquele tempo que sempre parece faltar, e que o reclamamos com mais garra a cada mês em que nos distanciamos das férias anteriores.

Mas atenção que mesmo este tempo não estica. Por isso é tão importante que comece desde já a escrever uma lista com o que lhe apetece fazer desta vez. Se começou a pensar já nos filhos, e no que pode fazer com eles, não se esqueça de depois incluir também o muito, e bom, que o casal pode fazer sem eles… Em relação aos colegas, não se empolgue demasiado; depois das férias vai ter mais onze meses para eles.

(publicado originalmente na revista Cristina, em julho de 2016)


Tagged as , , ,



Comentários

Deixar um comentário

O seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios marcados com um asterisco (*)