Amor e infidelidade: quando amamos não traímos

Escrito em em Setembro 23, 2018

É um erro desculpar uma infidelidade, as traições, a falta de atenção da outra pessoa para connosco

Quem ama não trai. Mas 50% da população de casais trai. O que até é pouco, considerando que 90% das pessoas que têm uma relação amorosa, namoro ou casamento, não ama o seu par dessa relação. 90% está apaixonado, ou sente-se confortável com a relação, mas verdadeiramente não construíram o amor. O amor pode construir-se e, para o fazer, é necessário que se tenha consciência da própria relação, não chega apenas saber que se tem uma relação, é também necessário ter sempre presente as implicações de uma relação amorosa, e seria muito bom se as pessoas não tentassem prolongar cada relação amorosa para além do tempo em que estão apaixonados, pois sofreriam muito menos.  

No que respeita a traições, até podemos desculpar uma ou duas vezes, mas não a terceira. Como diz o povo, «à primeira todos caem, à segunda cai quem quer, à terceira cai quem é tolo». É um erro desculpar as infidelidades, as traições, a falta de atenção da outra pessoa para connosco, apenas porque a outra pessoa vem com muitas desculpas de muitas preocupações. A verdade é-nos sempre apresentada de forma muito clara, nós é que nem sempre a queremos ver.  

Podemos concluir que, se formos alvo de uma traição, a pessoa que nos traiu não nos ama, porque conseguiu levar a cabo a traição. É da nossa cultura acreditar que uma relação é para toda a vida e, ao entrar numa relação assim, com traições – uma relação que entendemos ser para toda a vida – temos tendência a suportar muitas coisas e a sofrer muito, mais do que é correcto suportar, porque temos a expectativa de que um dia a outra pessoa muda.

Mas não muda. As relações são para se ensaiar, para experimentar e descobrir aquela tal pessoa certa, descobrir a pessoa que vai, de facto, levar-nos à ideia de Deus como Ele é apresentado no Evangelho de São Filipe, onde Deus é o amor entre dois adultos que partilham os corpos e têm um projecto conjunto de vida.

Quando iniciamos uma relação, cheios de esperança, mas depois surgem as traições, então isso significa que aquela ainda não é a nossa pessoa, não nos ama e provavelmente nós também não a amamos, e o melhor é terminar o mais rápido possível. Essa pessoa poderá vir a ser fiel e feliz com outro, a quem ame, mas nunca o será connosco. 


Tagged as , , ,



Comentários

Deixar um comentário

O seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios marcados com um asterisco (*)