O que mais procuramos

Escrito em em Junho 27, 2018

Já reparou que as músicas, histórias e lendas são quase sempre sobre o Amor? Afinal, sempre cantamos e falamos sobre o que mais nos falta e procuramos…

Conta-se que um antropólogo, cientista que estuda os costumes e comportamentos de diferentes povos na Terra, em viagem ao Polo Norte, perguntou a um esquimó o porquê de tantas das suas cantigas e histórias populares se referirem a peixe. O esquimó parece que lhe terá respondido que cada povo canta e fala sobre aquilo que mais precisa e que, no ambiente difícil como é o Polo Norte, e com a dependência do peixe para a alimentação e sobrevivência do povo esquimó por ser difícil cultivar, naturalmente que é sobre o peixe que sobretudo falam e cantam.

Mas o esquimó continuou, questionando, lembrando, que cá para baixo, disse ele, lhe parecia que as nossas cantigas e histórias eram quase todas sobre o Amor. E na verdade assim é. Músicas, histórias, lendas, são quase sempre sobre o Amor. Sempre cantamos e falamos sobre o que mais nos falta. E assim, da mesma forma que os esquimós tanto se referem ao peixe porque tanto precisam dele e tanta dificuldade têm em encontrá-lo em quantidades suficientes, assim nós, nestas regiões um pouco menos geladas, tanto cantamos e nos referimos ao Amor porque também tanto precisamos dele e tanta dificuldade temos em encontrá-lo.

É apenas uma história, nem sei se é real. Mas lembra-nos uma verdade da vida de cada um de nós. Todos, todos, mesmo aqueles que o negam, precisam de Amor; mas tão poucas vezes se vê alguém verdadeiramente feliz com um amor a seu lado. É bem verdade a falta que a todos nós faz o Amor; e não é menos verdade a dificuldade que quase todos sentimos em encontrá-lo.

E se algumas pessoas se arriscam a afirmar que para elas este não é um problema porque estão muito felizes com o amor que têm, a história do esquimó deixa-me a pensar se essa felicidade será mesmo assim, dentro do coração, ou apenas da boca para fora …


Tagged as ,



Comentários

Deixar um comentário

O seu e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios marcados com um asterisco (*)